Aguardando reforços…

19 de July de 2012 - por Jonas Pereira

Infelizmente não consegui por o projeto em efetivo funcionamento sozinho.

Aqueles que tiverem interesse em reacender as caldeiras podem contar com a minha ajuda.

Entrem em contato comigo através do e-mail da loja mesmo.

Abraços.

 

Jonas

Twitter da Loja RS

30 de January de 2012 - por Jonas Pereira

 

https://twitter.com/steampunkrs

Fique a vontade para nos seguir, mas por enquanto o twitter vai estar tão parado quanto o site…

E como ainda estou aprendendo como os vapores circulam pelo WordPress, não consegui adicionar o link, mas em breve colocarei…

Tempos difíceis para as caldeiras do sul…

24 de January de 2012 - por Jonas Pereira

Essa é mais uma tentativa de reabrir a Loja RS.

Corrigindo, tentativa não, como diria mestre Yoda: “Do. Or do not. There is no try.” Então, a Loja RS está reabrindo, mas como sou um aprediz steamer, vai ser com calma.

Assim que possível trarei mais novidades.

Reabrindo as portas do fantástico – Vapor a todo vapor!

25 de August de 2010 - por Carol

anchor

Steampunk, steampunk… Google, Wikipédia… Googies, vitoriano, gótico, retrofuturista, engrenagens, vapor, tons ocre. Cartolas, suspensórios, casacas, corsets, sombrinhas, bengalas.

É possível assimilar tudo isso de uma só vez?

Ainda acho que esta não é a questão. A questão é que você vai querer assimilar tudo isso, tudo junto, várias vezes.

Cada vez que penso no conceito Steampunk, uma coisa diferente vem à tona. E cada vez sob um novo ângulo.

Adepta do estilo gótico, com uma queda abismal para as ciências ocultas e com formação técnica, um dia me deparei com o Punk a Vapor. Confesso que a-do-rei a tirada de ‘retrofuturista’. Simplesmente fantástica esta palavra. Lembra alguma coisa modernamente clássica, ou algo assim. Contraditoriamente simpático. Além do quê, sempre tive a impressão de ter nascido na época errada.

Então tudo começa a se encaixar. Livros, filmes, imagens. Tudo é ao mesmo novo e levemente familiar. Afinal, quem nunca leu Frankenstein? A volta ao mundo em 80 dias? Ainda acho que gosto mais do Dr. Frank, essa parte de eletricidade me chama mais atenção. Desenhar engrenagens nunca foi meu forte.

Pensando mais além – quais serão os limites? Haverão limites? Esse paradoxo de futuro do pretérito mexe com a gente, afinal, quem não gostaria que tudo fosse diferente?

Disposta a sanar estas e múitas outras dúvidas, Carol é estudante de engenharia e acaba de subir na macchina a vapore da Loja Rio Grande do Sul para fazer bagunça, alimentar a caldeira e ajudar a disseminar a cultura Steampunk sob todos os seus aspectos. Devoradora de livros antigos, sanguessuga de aspectos culturais e um dia desses, ainda vai escrever um livro. =P

Busca Steampunk

2 de December de 2009 - por Ju Oliveira

“Para os entusiastas do mundo Steampunk que conheçem o site do Conselho Steampunk e os seus filhos, como a Loja São Paulo e Loja Rio de Janeiro, vocês devem ter percebido que esses sites são BEM recheados de informações e muitas vezes acabamos mergulhando tão fundo que acabamos sempre encontrando mais informações do que esperávamos. Nessas ocasiões estamos tão entretidos com a exploração que acabamos lembrando do conteúdo, mas não do link. (…)”

http://osparadoxos.blogspot.com/2009/11/busca-steampunk.html

Agnes De La Mancha no Steampunk RS

21 de October de 2009 - por Ju Oliveira

Leia mais »

Steampunk na IstoÉ

31 de August de 2009 - por Ju Oliveira

Os Punks da era vitoriana
O que é o movimento steampunk, formado por jovens que cultuam a moda e os hábitos do século XIX

Matéria da revista IstoÉ, por Renata Cabral


BRASILEIROS Jovens vestidos a caráter no Memorial do Imigrante, em São Paulo: futurismo retrô

Quando estão entre si, eles chamam carro de carruagem sem cavalo e televisão de teletroscópio – como o fariam os antepassados de seus avós. São os jovens seguidores dos steampunk, uma tribo contemporânea que cultua o século XIX. Não é nada fácil conceituá-los. Steampunks, movimento que começou nos Estados Unidos e tem a literatura como berço, é um estilo de vida.

A tradução livre é punks a vapor – steam, ou vapor, é um dos símbolos da revolução industrial que aconteceu a partir do século XVIII. E punk é herança do movimento literário cyberpunk, que prega um futurismo apocalíptico e underground, embora pouco lembre os ideais românticos de seus sucessores.

A intenção é referir-se a um passado remoto, quando as máquinas a vapor eram a sensação do mundo. E a inspiração são os livros de pioneiros do gênero: os americanos Tim Powers, Kevin Wayne Jeter e James Blaylock. A obra considerada clássica é “The Difference Engine” (A máquina diferencial), de 1990, escrita por Bruce Sterling (autor do gênero cyberpunk) e William Gibson. Foi a partir de 2006 que jovens começaram a transpor costumes, modas e ambientes para o dia a dia.

Adoram, por exemplo, praticar virtudes antigas, como o cavalheirismo, o respeito, a moderação, e de usar roupas e acessórios de época nas festas que promovem. O movimento já chegou ao Brasil. Um dos criadores do Conselho Steampunk Brasileiro, o analista de sistemas Bruno Accioly, 38 anos, do Rio de Janeiro, diz que hoje eles são cerca de 400 integrantes e estão distribuídos entre Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em cada Estado, há núcleos chamados de loja – mesma denominação dos maçons. “Como muitos amantes do gênero, o tema me encantava mesmo antes de ganhar um formato”, conta Accioly, fã do escritor Júlio Verne e de suas criações extraordinárias. Esse é o tipo de literatura que eles cultuam: a que fala de um futurismo retrô.

No dia a dia, apenas alguns seguidores se paramentam como lordes. “A roupa funciona para criar um clima nos eventos”, explica o especialista em tecnologia da informação Raul Cândido Ruiz, 23 anos, de São Paulo. Na estética steampunk, espartilho é quase item obrigatório no guarda-roupa das mulheres. “Misturo essa peça com uma saia longa e acessórios de época, e improviso”, afirma a estudante de música Joanna Oliveira, 22 anos, que está à frente da loja do Rio Grande do Sul.

Mas atenção: reviver o passado não significa estar desconectado do presente. O grupo usa a internet para organizar os encontros – sempre em locais cercados de máquinas -, compartilhar dados históricos e até produção literária. “Damos um novo significado àquela época, seja com uma visão nostálgica, seja mais crítica”, destaca Accioly. “Pensar a relação entre homem e máquina e o abuso de recursos naturais ainda faz sentido hoje.”

Carro a vapor é o carro mais veloz do mundo

27 de August de 2009 - por Ju Oliveira

Fonte: Notícias UOL

Leia mais »

Steampunk & Criatividade

21 de August de 2009 - por Ju Oliveira

O universo Steampunk dá suporte a diversas tendências, nunca caindo no buraco sem fundo da entropia. Exemplos disso são os artistas que, de pedaços de materiais teoricamente sem utilidade, criam os mais incríveis acessórios.
Leia mais »

Memorial do Imigrante

23 de July de 2009 - por Ju Oliveira

Leia mais »

Navegação

Busca

Arquivo

July 2014
M T W T F S S
« Jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Serviço

Assinatura

Stop SOPA